Underground brasileiro, uma playlist para viajar no tempo

Imagem de divulgação

Sim, você já leu por aí em algum lugar! Houve um tempo em que bandas de rock pensavam, refletiam, se reuniam e escreviam sobre a realidade social e o futuro do país. O tempo não para, diria o poeta Agenor, vulgo Cazuza e isto é um fato, porém desejaríamos um pouco de alma retrô, no caso de composições musicais, você não acha?



Cazuza / foto de divulgação
Quem cresceu no Brasil consumindo músicas que eram produzidas no triângulo Rio - Sampa - Brasília durante os anos 1980 e começo dos anos 1990 podia absorver ideias e letras que não possuíam rimas de fácil apelo ou alguma reação rebolativa. A única coisa a balançar naquela época eram as ideias e reflexões e com certeza havia mais inteligencia no ar. 

Preparamos uma pequena porém significativa playlist com pérolas de um tempo que dificilmente voltará. E não chame a nossa equipe de saudosista. Adoramos novidades! Apenas constatamos que os tempos mudaram e que o peso das letras (no sentido reflexivo) deu lugar em sua grande maioria a frivolidades que não ajudam a (re)construir algo de bom, de melhor, que provoque alguma mudança.


Arte no Escuro / foto de divulgação
Mesmo quando desejavam ser irônicas, as letras continham altas doses de política e romantismo. Experimente ouvir "Beije-me cowboy", do Arte no Escuro e ficar imune aos apelos gritados e cantados a plenos pulmões. Já em "Cadê o socialismo", do Voluntários da Pátria, os primeiros versões parecem ter sido compostos ontem: "O avanço da história, me deixa nervoso, é um ritmo tão lento, cadê o socialismo?". Ele existe, porém nunca esteve tão velado, concorda?


Voluntários da Pátria / foto de divulgação
Havia ainda um grupo sensacional e pouco divulgado chamado Fellini: "E só dentro de um hospício se vive na América, viver num hospício é melhor que num pardieiro? Tudo foi sempre uma mera questão de dinheiro...", cantado em "Rock Europeu". Havia uma reflexão quase que obrigatória em (quase) todas as letras, algo pensante, que nos fazia sair da rotina para imaginar um outro mundo.


Violeta de Outono / foto de divulgação
Em meio a todos os sons político-cabeças, de vez em quando saíam hits bicho grilo. "Dia eterno" do Violeta de Outono ainda faz muita gente bater cabeça no meio da madrugada em possíveis festas pilotadas por alguém com mais de 35 anos por trás dos decks. Não acredita? Experimente e conte pra gente depois! "Na escuridão, relembrando planos, quem se erguerá com fogo nas mãos, adormecido, eu o vi chegando, na madrugada o sol vai brilhar". Leia novamente estes versos e tente enumera uma, apenas uma banda dos anos depois de 2000 que tenha conseguido pelo menos 10% de poesia pensante neste nível? Aproveite que falamos aqui em Violeta e ouça (novamente se for o caso) a belíssima versão de "Tomorrow never knows", dos Beatles. Conte depois o que achou!


Golpe de Estado / foto de divulgação da capa interna do disco Forçando a barra, de 1988
Outro nome que fazia um som diferenciado e pulsante era o Golpe de Estado. Os versos de "Moondog" dizem ou não a nossa doce realidade, apesar de terem sido lançados em 1986: "Morador de um lugar sujo da cidade, aparenta um pouco velho ´prá´ sua pouca idade, não tá nem aí ´prá´ sua reputação, trabalha ´prá´ uma pesada e podre organização..." - É visionário e lírico, não acha?


Blues Etílicos / foto de divulgação
Até quando o assunto era a nossa velha e conhecida ressaca, havia sempre muita poesia e humor, como nos versõs de "O sol também me levanta", do Blues Etílicos, onde ouvimos: "É de manhã e eu tô numa ressaca, eu me arrasto até o banheiro, me sentindo enjoado, enfio a cara no chuveiro... Nessas horas eu digo pra mim mesmo, nunca mais eu vou beber, mas vem caindo a tardinha, preparo outra caipirinha". Delicioso e etilicamente incrível.

A lista é infinita e tivemos criamos uma playlist no Spotify para que você possa curtir os sons que citamos por aqui e os outros sons do Rock Brasil que ainda vamos inserir aos poucos, por isso, volte sempre e caso tenha alguma sugestão, não hesite em comentar por aqui, porque pensar é muito bom e a gente adora!

Clique abaixo e curta a playlist Underground Brasileiro, preparada especialmente pra você!


Underground brasileiro, uma playlist para viajar no tempo Underground brasileiro, uma playlist para viajar no tempo Reviewed by Luck Veloso on 19:58 Rating: 5
Postar um comentário

Join Us