Sempre gostei de música esquisita! Viva DJ Hell e Klaus Nomi

DJ Hell / Gigolo Records
Sempre gostei de música esquisita. Isso não quer dizer que não consuma as ´normais´ mas os experimentos, experiências e fusões são as que mais me atraem meio que instintivamente. Sendo assim, sou naturalmente um fã do DJ Hell. Quando tive a chance de falar com ela rapidamente em uma festa aqui no Rio de Janeiro, lá pelos idos de 2005 creio, disse que ele representava para mim a mais perfeita fusão de estilos, pois passeia muito bem entre quase todos, indo da base electro ao minimal, pegando diversas nuances, com ecos do rock e o que mais me fascina na mistura, a música clássica.

Com vasta e criativa discografia, o alemão DJ Hell me chamou novamente a atenção em "DJ Hell presents Klaus Nomi - Cold Song 2013 Remake" (Gigolo Records), onde realiza com maestria uma mistura que, embora não seja nova, para mim soa como ópera moderna, que á pegar elementos do electro de base, com sequencers melódicos e acrescentar canto lírico. Sua releitura para os frases do contra-tenor Klaus Nomi, também alemão, ficou algo inusitado e macabro mas ao mesmo tempo muito atraente para quem gosta de eletrônico e pista de dança incomum.
Klaus Nomi / divulgação

Klaus Nomi foi um artista que teve um grande sucesso nos anos 80. Carregava na maquiagem em suas apresentações e mesclava um visual andrógeno aos cantos e misturas, que realizava já naquela época, mesclando elementos de ópera a sintetizadores. Infelizmente  nos deixou em 1983, vítima da AIDS. Certamente ficaria emocionado e feliz pelo reconhecimento de DJ Hell, dando continuidade à sua arte, através de remixagens modernas e igualmente inusitadas. Vale a audição e também a conferida no vídeo oficial, dirigido por Voin de Voin & Kinga Kielczynska.

Assista:

Você também pode gostar:

0 comentários

Mais vistos