Dia Mundial do Rock: o estilo é composto por muito mais que apenas guitarra!

Jimi Hendrix com The Who / divulgação
Devo confessar que ainda tento entender até hoje, como conseguem separar o rock da música eletrônica. Não consigo. Alguns amigos ainda me questionam, acredite, por eu eventualmente tocar Minimal em eventos de música eletrônica, o que aliás, tem um tempo que não faço e ainda assim, levar à frente uma web radio, a Radiocultfm, que tem 80% de rock na programação. 


Faço essa reflexão por conta do Dia Mundial do Rock, comemorado em 13 de julho, data em que todos os cabeludos, tatuados e outros estereótipos (prefiro deixar só o estéreo) de plantão levantam as mãos e dão o grito de guerra, renegando todos os demais estilos como se apenas o nosso belo e amado rock and roll existisse no mundo.

Gillian Gilbert, a responsável pelos sequencers do New Order / divulgação


Em recente papo sobre a Fluminense FM, a Maldita, na expo que leva o seu nome em Niterói, tivemos esse questionamento e tive o privilégio de conversar sobre isso em público com o seu principal criador, Luiz Antonio Mello e ainda um monte de gente boa do ramo. É uma discussão infinita. Em meio ao papo, afirmei sem remorso, que a ´culpa´ era do José Roberto Mahr. 


Cresci ouvindo a Fluminense, a Rádio Cidade e muitas outras rádios comunitárias, que ousavam tocar coisas diferentes, então ter na mesma programação sons que vão de The Doors a The Art of Noise e até Bomb The Bass foram a minha formação, a meu ver, modéstia à parte, rica. Não consigo separar o eletrônico do rock and roll, a não ser é claro, ao saborear determinado disco, mas falando em programação, acho que um nicho completa o outro e conteste quem achar de direito.



Jim Morrison declarou em uma antiga entrevista, feita em 1969 e que reproduzo acima, legendada em espanhol sobre o futuro da música, que ele acreditava, seria feita por compostos eletrônicos e gente usando muitas máquinas, como vemos hoje em dia. Visionário? Pode ser que sim, mas era óbvio que usaríamos tudo isso e que o uso de equipamentos eletrônicos jamais depreciariam o rock, muito pelo contrário, só fariam somar, como podemos comprovar nos sequencers usados em vários clássicos do rock como o The Who, que o experimentou em várias músicas, de Baba O´Riley a Pinball Wizard e muito mais. Celebremos sempre o Dia Mundial do Rock, mas procuremos manter a mente a mais curiosa possível em nome da qualidade musical!


Você também pode gostar:

0 comentários

Mais vistos

Arquivo