Feliz aniversário, envelheço na cidade!


É engraçado como a data do nosso aniversário vai mudando conforme o tempo (e a idade). A euforia da infância e aquela vibração de certa forma ainda infantil da adolescência, vai com o tempo dando lugar a sentimentos maiores e a comemorações mais comedidas.

Completo hoje 43 anos e vi tanta mensagem, tanto ´inbox´, tantos ´zaps´ (embora eu insista em dizer ´what´s app´) e ligações que fiquei até surpreso. Não é que eu não saiba ser querido por algumas ótimas pessoas, o que agradeço muito. Fiquei pensando na tecnologia que, de certa forma, nos aproxima e nos afasta.


Viajei rapidamente de volta aos primeiros aniversários, aquela mesa sempre cheia de copos, balas, doces, balões de gás (ou bexigas) e no meio de tudo, o bolo ali, simbólico e mágico, a lembrar que algo dali pra frente, mudaria, teria novo rumo, novas energias.


Adoro aniversários, não só os meus, mas como os de amigos, parentes e todos os que me cercam. É uma concentração muito boa de energia e desejos positivos, de que algo se concretize, abraços mil e beijos celebrando mais um ano. Acredito que hoje, muito mais do que antes, devemos sim celebrar, seja de que forma for. A vida anda cada vez mais rara e abraçar e sorrir com quem nos quer bem é algo que deveria ser feito com maior frequência e não apenas quando completamos mais um ciclo de 365 dias. Como diz a linda música do Ira!: "Feliz aniversário, envelheço na cidade". Obrigado especial aos meus sempre presentes irmãos Ravengard, Ale Miranda e Junior. Parabéns para nós e vamos celebrar!

Você também pode gostar:

0 comentários

Mais vistos

Arquivo