Eu quero lutar, mas nao com essa farda!

Ja escrevi antes sobre as músicas dos 80, mas como isso já faz bastante tempo, hoje volto ao tema por conta de um CD que recebi do grande amigo, Fabiano Vilela. Uma coletânea dos maiores hits de uma década que até hoje nao terminou. Me lembro bem daqueles tempos, em que costumávamos reunir amigos em garagens para rolar as músicas, muitas vezes retiradas de coletâneas de alguma novela da época. O som? Era a coisa mais improvisada possível, reuníamos parte do som caseiro do Sr. Milton, pai do Fabio que logo em seguida viraria policial. Sei que é clichê mas tenho que dizer: Bons tempos!

Fiquei ali, preparando o almoço para minha mae, aproveitando a visita que lhe fizera e quando iniciei a parte da salada (risos), começou a tocar um clássico do new ave amador que era feito na época: Beat Acelerado, de uma banda chamada Metro. Impressionante a leveza das palavras utilizadas naquela época, comparando-se com o que o jovem ouve atualmente: "…acontece porem que eu nao sei me entregar a um amor somente, quando ando nas ruas fico só namorando e olhando pra toda a gente…". Comparar essa letra com o "late que eu to passando" da Valeska popozuda é quase como tentar enxergar petróleo na lua.

A respeito do Kid Abelha, gostava apenas das músicas mais rápidas, mesmo assim em respeito a Bruno Fortunatto e George Israel. Peguei implicância com a Paula (Toller) porque na época, pude comprovar a fama de metida quando fui a um programa chamado "Chá das Cinco", promovido na época pela Transamérica do Rio de Janeiro. A mulher era um nojo! Nao sei se continua assim, espero que nao, mas ficou meio irritada quando nao pedi autógrafo a ela, pegando somente o dos músicos sobre o Vinyl do disco Tomate, que havia ganhado. Me interessava pela galera que fazia o som e naquela época eu posava de rebelde, nao dando atenção as possíveis celebridades do Rock. Ela pegou o disco e autografou mas nao a agradeci e sai. Fui mal educado, claro. Perdao Paulinha!

Quando ela cantava "eu ouco sempre os mesmos discos, repenso as mesmas idéias, o mundo é muito simples, bobagens nao me afligem…" nao tínhamos idéia de quantas coisas ruins ainda viveríamos em um futuro nao muito próximo, mas também nao tao longínquo. Poderia escrever quase um livro sobre os anos 1980, mas já existem tantos por aí que vou terminar este post, com uma outra lembrança, resgatada de outro classido da época e que ouvi quase a exaustão: Nucleo Base, do Ira! "…meu amor eu sinto muito mas vou indo, pois é tarde é muito tarde e eu preciso ir embora, sinto muito meu amor mas acho que ja vou andando, amanha acordo cedo e preciso ir embora… eu queria ter você mas acho que ja vou andando, outro dia pode ser mas nao vai dar pra ser agora… Eu tentei fugir, nao queria me alistar, eu quero lutar, mas nao com essa farda…". Até o próximo post!

Você também pode gostar:

0 comentários

Mais vistos