A primeira musica a gente nunca esquece! Nasceu Deep in Istambul!


Tenho aproveitado bem esse período de ferias para fazer varias coisas. Chega a ser estranho falar em férias em pleno janeiro mas a verdade é essa, me dei umas ferias apos estes meses todos ao mar trabalhando diariamente. Mesmo quando trabalhamos com o que amamos, no meu caso a música e a arte, estando com a obrigação de fazer isso diariamente cansa um pouco. Estar de "vagabundagem" por um período, sem ter que acordar em horário certo muitas vezes ajuda o corpo e a mente a estarem com mais disposição e energia. O chamado "gás" vai retornando aos poucos.

Durante anos procurei diversificar meu gosto musical ao máximo, absorvendo o que viesse de som, ouvindo de tudo, estando aberto a todas as possibilidades. Com a recente passagem pela Europa em meados de 2010 ate o final do ano consegui ampliar ainda mais esta visão mas ficava faltando sempre uma coisa, produzir musica. Durante os anos em que morei com o produtor CJ Ricco, um grande amigo que agora vive em Fortaleza, terra em que minha mae nasceu, sempre fui acostumado a dar idéias as produções dele, criávamos alguma coisa juntos mas eu nunca colocava a mao na massa de fato, cabendo todo o trabalho de construção ao Ricco. Ajudava somente a fazer os drinks e a dar pitacos, o resto era muito som e historias.

Anos se passaram e minha preguica de aprender a mexer nas geringonças de produção foi diminuindo. Cheguei a ter alguns softwares instalados no computados mas nao me atrevia a sair das primeiras pistas, ate que nesta semana finalmente me arrisquei. Falei para mim mesmo que iria começar de verdade a produzir musica, principalmente a eletrônica. Acho muito mais fácil por ja ter todos os "instrumentos" a mao e contar apenas com a criatividade, que no meu caso, modéstia a parte, nao é tao difícil pois minha cabeça voa. Como tinha removido o Live (software) do meu antigo Mac e ao adquirir o MacBook Pro nao o havia instalado ainda, decidi desvendar os segredos do Garage Band, uma plataforma multi track que ja vem no Mac OSX e é bem interessante por sinal.

Recentemente fui convidado a fazer um set em um evendo chamado Festa da Musica Tupiniquim, organizado por um grande amigo dos tempos de estacioradiosite, Tulio Baia. Ele é daquelas pessoas que você gosta logo de cara, sempre sorridente e com o astral la em cima. Fiquei tentado a ir fazer o set mas queria levar uma novidade sonora, algo que ninguém tivesse ouvido antes. Decidi fazer um remix! Nao sei porque mas a musica escolhida foi "A Menina Danca", dos Novos Baianos. Sim, Novos Baianos! O histórico disco "Acabou Chorare" foi lançado coincidentemente em 1972, exatamente o ano em que nasci. Juntei as idéias e parti para o programa, iniciando uma batida meio hip hop louca, com um som mesclando o acústico e uns efeitos fem flange. Achei a idéia monstruosa mas era meu primeiro remix, entao estava super empolgado com aquilo! Fiquei ali mexendo em timbres, ecos e batidas e logo depois, dando um pequeno tratamento na voz de Baby Consuelo…

Tarefa super difícil porque naqueles tempos os músicos dificilmente usavam metrônomo entao encaixar a voz deliciosa de Baby as minhas batidas era uma tarefa quase hercúlea! Tive que recorrer ao conhecido Acid Pro no meu antigo Windows para cortar a voz em vários pedaços e tentar encaixar as minhas batidas naquela loucura toda que era feita pelos Novos Baianos e as guitarras insandecidas de Pepeu Gomes… Estava começando a desenhar algo interessante ate que no meio do projeto, falei com Tulio sobre minha idéia de fazer um set com o remix no meio… Tulio em sua ingenuidade me disse que a festa era somente de versões originais, que nao caberia um remix… Apesar da noticia broxante, pois estava ali me dedicando a ser o novo Quincy Jones tupiniquim (hahaha) achei graça naquilo tudo e admirei mais ainda a idéia da festa. Que pretensão desses caras, fazer uma festa so com musica brasileira e nada de remixes! Poderia ser revoltante para um DJ mas nao para um pesquisador. Ainda bem que sei alternar bem estes meus momentos e parei na hora com o remix, mas postei o resultado dessa loucura no link a seguir. Ate porque os Novos (e antigos) Baianos poderiam achar uma heresia. O remix ficou assim, ate a metade da musica teve minha intervenção, depois ficou somente a original com Baby cantando sobre a cama de guitarra de Pepeu… Se alguém se arriscar a continuar com a idéia, por favor me mostre o resultado! Clique aqui e baixe o remix de A Moça Dança (Luck Veloso Mix) - Novos Baianos.

Nao queria deixar a idéia de produzir musica ou remixes de lado, claro. Abri novamente o Mac e cai dentro da uma nova produção, desta vez, sem mesclar nada, pegando somente os timbres eletrônicos da maquina e o que brotava de meu cérebro. Queria me testar, queria fazer algo que eu conseguisse me imaginar dançando e ficando feliz. Nao tomei cerveja. Queria ter essa sensação completamente sóbrio. Se conseguisse sentir isso, essa felicidade sem beber nada, teria certeza que ficaria feliz tocando a musica na pista de dança. E assim foi. Parti pra cima da maquina com uma fome de criança e pensando em todas as minhas influencias ao longo de duas décadas dedicadas aos sons, meu amor por Depeche Mode, Kraftwerk, Radiohead, Rage Against The Machine, Justice, queria por tudo lá de uma so vez. Foi ai que nasceu "Deep in Istambul", minha primeira música eletrônica feita totalmente por mim, por minhas idéias, minhas maos, meu cérebro e meu computador. Isso é meio louco porque quando você termina, ou acha que termina, porque logo em seguida vem varias idéias para um remix, você sente como se tivesse colocado um filho no mundo. Sim, agora Annaluh tem uma irma que se chama "Deep in Istambul"...

Batizar uma musica nao é uma tarefa das mais fáceis. Voce realmente nao tem idéia de como vai chamar aquilo… inicialmente batizei o arquivo como "Song One" por ser realmente a primeira musica que me meteria a fazer sozinho, completamente alone e sem idéia de ninguém, sem ajuda alheia, mas achei meio sem graça chamar a musica de Song One, ja chega o Blur com a Two…Entao tentei lembrar do lugar que mais curti ao longo de minha recente estadia pela Europa e nao consegui pensar em outra coisa senão Istambul, com suas mesquitas, suas orações, seus ecos vindos de diversas partes e o cheiro inebriante do Grand Bazar e ainda, os drinks e risadas em Taksim. Pronto! Minha alegria agora tinha nome e era "Deep in Istambul", a primeira musica de uma serie que pretendo fazer daqui pra frente, ate poder ter um set completo somente com meus sons e que em breve poderão ouvir aqui também. Por enquanto, curtam e divulguem para os amigos meu primeiro som, DEEP IN ISTAMBUL!Clique aqui e ouça: http://www.4shared.com/audio/9-P-d_QP/DEEP_IN_ISTAMBUL__Mary_Full_Mi.html

Você também pode gostar:

3 comentários

Mais vistos