Se tens algo a fazer, faca. Agora! Ou mude para sempre.

Ao mar, entre Dubrovnik e Veneza, domingo, 5 de Setembro de 2010 - 16:32

Parece que a cada instante aprendemos uma lição. Nova ou velha. Sim, porque licoes se repetem, basta nao aprendermos e la estará ela novamente, a nos perturbar e a tentar ensinar algo. Estava em meu camarote vendo pela segunda vez a serie Nip Tuck, escrita pelo louco e competente Ryan Murphy quando fui interrompido por uma ligação de Daniel. Sim, o técnico que quase sai no tapa conforme descrevi ha alguns posts. Claro que continuamos amigos, pois amigos nao se perdem apenas por uma discussão idiota. Precisavam de um cabo que estava comigo para umas aulas de dança na boite. Alias, se ha uma coisa importante a aprender quando se trabalha em navios é que você nao deve deixar nada, eu disse NADA seu em lugar algum a nao ser com você. Ja sumiram dois cabos meus em apenas uma semana e um deles me era especial pois era azul, niquelado, completamente diferente e bonito, alem de ter uma qualidade excelente. Coisa de DJ, nao ligue. Nao gosto de cabos de plástico. Alem de serem muito vagabundos, sao comuns e nao gosto de coisas comuns e vagabundo já basta eu.

Voltando a falar sobre licoes, la estava eu, levando o cabo e esperando o elevador, quando notei que alguns técnicos trabalhavam na instalação de redes para acesso a internet em nosso andar. Nao fiquei animado, pois infelizmente nao será grátis. Alguns engraçadinhos costumavam baixar pesados vídeos pornô de madrugada e por isso agora o uso para a tripulação era tarifado. Bullshit, eles querem é faturar também em cima de todos. Normal, afinal, vivemos em um "i-mundo" comercial. Em frente a porta do elevador havia uma escada montada. Fiquei ali, esperando o elevador chegar e olhando para os acessórios que estavam no chão e também para a escada e de repente notei algo que me fez sorrir. Havia um desenho entre dois parafusos da escada que simulavam dois rostos sorridentes e a palavra SMILE. Muito interessante! Algum técnico no meio do trabalho tedioso que deve ser o de passar cabos e fios, teve a brilhante idéia de suavizar tudo aquilo com um simples traço em um parafuso e uma palavra. Fiquei ali sorrindo e logo pensei em tirar uma foto, claro, mas precisava levar o cabo correndo para a disco e nao havia tempo para voltar ate minha cabine e pegar a maquina, entao pensei em ir rápido e fazer a imagem na volta.

Ao retornar da boite nao tive paciência para esperar o elevador. Queria fazer a foto da escada, desci correndo pelos acessos internos do navio e quando cheguei ao quarto andar, percebi que a escada ainda estava la, sendo que agora com alguns técnicos por perto. Nao teria problema, eu inventaria alguma coisa, tipo, que precisava fotografar a escada para que enviasse como exemplo para alguém em algum lugar… Sim, porque explicações técnicas sao sempre melhor aceitas do que as sentimentais. Se explicas que queres tirar a foto do sorriso na escada te chamam de louco ou de viado, entao… Corri ate meu quarto e peguei a câmera, abri a porta do acesso ao elevador apressado e para minha surpresa, nao havia mais nada la… Somente uns pedaços de fio e a porta do elevador se fechando. Fiquei com uma cara sem graça para mim mesmo e pensei que realmente poderia ter voltado ao meu camarote no primeiro instante em que notei a imagem na escada e pimpa! Teria agora a foto aqui, mas certamente, se tivesse sacado a foto, este texto nao seria o mesmo. Enfim, o que quero dizer é que se tens algo a fazer, faca agora! No meu caso, eu tinha algo a fazer, que era levar o cabo mas no meio do caminho, apareceu outra coisa para fazer, sacar a foto, o que evidentemente nao consegui. Ao optar por levar o cabo, simplesmente negligenciei o outro lado e fiquei sem a imagem. A vida é feita de escolhas, sempre, entao saiba que faca o que quiser, sempre perdera algo, embora claro, sempre ganhe por outro lado. Mas ainda vou tentar achar a escada por ai em algum lugar, prometo.

Você também pode gostar:

0 comentários

Mais vistos