Venice e um novo olhar



Veneza, 27 de julho, 2010 - 10: 05

Passei mais dois dias em Veneza mas praticamente nao andei pela cidade, porem foi uma das melhores idas. O primeiro dia fiquei no navio pois nao poderia sair, já que era dia da minha cor (again rsrs), entao aproveitei para dar uma arrumada na minha cabine. Como é bom chegar de madrugada para dormir e encontrar uma cabine organizada e limpa, faz uma enorme diferença. Tenho visto as outras cabines por aqui e sempre é uma zona enorme. Embora raramente receba alguém na minha, gosto de me sentir em um lugar organizado e limpo. Engracado que eu nao costumo ser muito assim em casa, mas também quase nao ficava em casa no Brasil, agora que fico mais tempo na minha "casa", gosto de mais organização e limpeza, é importante para manter o animo e seguir em frente.

Mas o papo é sobre Veneza. Hoje foi o segundo dia e levantei tarde, tinha apenas uma hora e meia para comprar artigos de primeira necessidade e pegar o carimbo de documentos na aduana. Consegui fazer tudo mas sempre fica aquela dor de nao poder andar mais pela cidade que minha mama sonha em conhecer, quem sabe um dia a trago aqui. Fiz tudo correndo e tive que voltar para o navio, pois teríamos uma simulação de emergência para os novos passageiros da semana. Tranquilo. Logo apos, fui tomar um cafe com o saxofonista espanhol Pere e em seguida apareceu o técnico de som Paul, da Romenia. Ficamos ali falando sobre jazz e pianos quando o navio iniciou a manobra de saída do porto de Veneza…

Desde que dei o mole de nao ter registrado minha chegada a Veneza do alto, nunca mais tinha parado para pensar nisso, quando fui brindado com uma visão incrível, da janela do bar do navio onde eu estava, comecei a ver toda a cidade, de uma visão mais alta, claro. Que linda!!! Mais uma vez digo que minha mae tem razão ao sonhar com esta cidade desde sempre, que visão! Nao conseguia mais ouvir o que meus dois companheiros de mesa falavam, sinceramente nao me interessava mais. Mergulhei nas imagens que inundavam meus olhos. Magico demais estar ali, navegando justamente pelo canal em que Marcopolo fez o mesmo percurso, ha séculos. Veneza soma 118 ilhas protegidas do mar por bancos de areia chamados "Lidi".

Fiquei ali de boca aberta olhando aquele mistério todo, as pontes, as torres e os charmosos bares a beira dos canais. Segundo me informei, as diversas pontes que hoje sao a historia de veneza eram na verdade, divisas entre propriedades privadas e devíamos pagar para atravessa-las. Elas nao tinham bordas ou proteção e era comum pessoas caírem nos canais a noite. Hoje podemos transitar livremente entre elas e como podem ver nas fotos, ha pequenos muros de proteção para evitar novas quedas. Ainda nao fui a famosa Praca Sao Marco (foto), mas passei em frente ha pouco e fiquei ali admirando as docas onde Al Pacino já esteve filmando e ainda o Cafe onde foram rodados vários filmes de Hollywood. Ja programei com os caras uma ida a Praca SM na nova ida a Veneza, em duas semanas, ai contarei com mais detalhes. As poucas fotos que tenho desta passagem nao foram tiradas por mim e sim pelo malabarista Alvaro, mas as próximas eu mesmo registrarei com certeza!

Leve Desespero - Capital Inicial (Acustico)
Natasha - Capital Inicial (Acustico)
Parece Mentira - Katia B (Brazilian Lounge)
Two of us - Supertramp (Live in Paris)
Foxey Lady - Jimi Hendrix live at woodstock
Crapage - Front 242 - (Reboot Live)
Venice e um novo olhar Venice e um novo olhar Reviewed by Luck Veloso on 12:18 Rating: 5
Postar um comentário

Join Us