A noite de Athenas

Athenas, 25/05/2010 18:10 (horario local)

Chegamos a Athenas pela manha e hoje foi dia de desembarque e chegada de novos passageiros ao navio. O porto de Athenas nao tem muitos atrativos, êh um pequeno centro com algumas lojas comerciais, dois cafés e so. Mas um diferencial torna o porto um tanto agitado. A internet êh gratuita! No dia de desembarque o navio fica literalmente vazio, chega a ser ate estranho pois ele êh imenso e andar entre os decks leva um certo tempo. A tripulação que trabalha no navio êh chamada de 'crew members' (isso me inclui rs) e recebe uma numeração e um cartão com identificação e uma cor, no dia em que cai sua cor, você nao pode sair do navio para haver um numero mínimo de tripulantes. Sao cinco cores que correspondem ao nome Ibero: Ivory, Blue, Evergreen, Red e Orange. Fiquei com a cor branca, numero de identificação 664. Acho que minha numerologia caiu bem, nao sei o resultado desta combinação, Ravengard que me ajude por favor ao ler isso, mas o fato êh que o espetáculo da noite foi cancelado por falta de publico, so havia duas pessoas no Teatro Mirasierra por conta do desembarque e quem chegava estava tao cansado que preferia jantar e ir dormir. Com isso, a boite Alameda Disco (eta nomezinho brega) onde toco todas as noites ficou vazia, o que me permitiu sair pela primeira vez para curtir uma noitada em uma das cidades que estamos visitando.

Athenas me lembrou um pouco Sao Paulo. Muitos prédios, lojas e uma infinidade de bares que funcionam a todo vapor. Mesmo para uma segunda feira a noite, havia um movimento muito bom! Como nao houve trabalho para todos os artistas, reunimos uma grande turma para sair pela noite e partimos em quatro taxis, depois de barganharmos um tanto. Nao teve muito jeito, deu cerca de cinco euros por cabeça para sairmos do porto rumo a rua de bares da cidade, o que levou cerca de 20 minutos. Curtimos dois bares muito bons no centro, o primeiro, chamado Tapas Bar tinha um ambiente sofisticado, com grandes sofás e mesas de canto, que proporcionavam uma certa interatividade entre os presentes. Nosso grupo tinha cerca de vinte pessoas entre músicos, bailarinas, cantoras, saxofonista, contorcionistas de diversas nacionalidades. As contorcionistas sao da Etiopia mas vivem na Alemanha, já as bailarinas em sua grande maioria sao da Espanha e quase nao falam inglês. O clima entre as pessoas êh de total amizade, êh muito diferente de chegar novo em uma empresa por exemplo, onde as vezes rolam aqueles climas em que levamos um mês para conhecer alguém. Por aqui sao todos tao solícitos que já me sinto parte da família e ontem serviu muito para reforçar estes laços, pois aproveitamos o momento de folga para nos conhecermos melhor, todos. O som do bar estava ótimo e o DJ residente Grammenos Alexandros empurrava um progressive houve de ótima qualidade para as caixas de som potentes, com um grave fechado e redondo. Coisa boa de se ouvir, estava precisando.

A única observação êh que os preços poderiam ser melhores por estes lugares. Pagamos 5 euros por cada Stella Artois e pequenos snacks nao saem por menos de 7 euros. Snack que digo êh um pedacinho de pão (pedacinho meeeesmo) com uma pasta e uma pequena decoração em cima. Mas, que fazer? Nao ha como pagar preco de boteco em bar na Europa, êh seguir em frente. Ficamos neste bar por um tempo mas havia uma parte da turma meio a fim de ficar pela rua. Como eu estava adorando ouvir o set do DJ para renovar meu ouvido depois de tanta musica latina, fiquei mais um tempo. Ha vários brasileiros trabalhando no navio e entre os que estavam conosco, havia a fotografa Paula, de Santos, que trabalha em seu primeiro contrato com a Ibero registrando os momentos da viagem para os passageiros, fotos estas que sao oferecidas para venda posteriormente em um dos decks. Um trabalho muito interessante, registrar momentos e viajar. Se nao fosse DJ certamente seria fotografo, êh uma paixão antiga que tenho por imagens e capta-las e eterniza-las em um clique êh algo que sempre me pareceu bastante poético. Saimos do primeiro bar e fomos andando pelas ruas do centro de Athenas. Pelo menos a cerveja nas lojas em volta sai mais em conta, cerca de 1,60 euros por long nack. Mas o povo queria mais festa e encontramos na mesma rua mais adiante uma casa noturna. A bandeira multicolorida na entrada já dava a pista que seria uma casa gay mas como ninguém por aqui êh preconceituoso, pagamos pra ver. 9 euros por pessoa e la estávamos no Fou Club, uma casa realmente pequena mas bem confortável. Estava vazia e nosso grupo foi entrando aos poucos, dando novo animo ao local, onde o DJ utiliza um enorme telao projetando os clipes das musicas que mixa. Muito bom, pois o cara sacou que tínhamos vindo de outros lugares e logo despejou um monte de hits na tela, inclusive um mix de anos 80, fazendo a galera pular e gritar na hora em que tocou Enjoy The Silence. Quase nao gostei…rs.

Ficamos na casa ate ela fechar e depois fomos novamente as ruas mais próximas para pegar um taxi de volta ao porto. Cheguei na cabine perto de seis horas da manha exausto mas feliz, pois pela primeira vez consegui curtir uma noite fora do navio. Eh bom para renovar. Depois de um dia inteiro descansando, pois a noite sera puxada, teremos dois shows e depois ficarei ate as três da manha tocando na Disco, como eles chamam a boite por aqui, vim para o restaurante escrever um pouco e comer. To com muita fome, um tanto ressacado mas feliz da vida, apenas a saudade de todos êh que doi um tanto. Saber que estamos muito longe as vezes assusta mas da pra levar na boa. O navio acabou de zarpar do porto e ha novamente o visual do mar a inundar a janela. Let's gol!

Escrevi este post sem ouvir musica, descansando a mente para mais tarde.
A noite de Athenas A noite de Athenas Reviewed by Luck Veloso on 14:20 Rating: 5
Postar um comentário

Join Us